EnglishPortuguese

Pontos para você se atentar na hora de comprar e fazer a gestão de um imóvel de uso comercial

Tempo de leitura: 4 minutos
Prédios no centro da cidade

Imagine a seguinte situação: você vai abrir um negócio e realiza a compra de um imóvel. Faz uma reforma no local, deixa tudo do jeito que você sempre sonhou e quando chega na hora de correr atrás dos documentos legais do empreendimento, como alvarás e licenças, descobre que no imóvel que você adquiriu não é possível realizar a sua atividade comercial.

A seguir vamos te apresentar alguns pontos que você deve se atentar na hora de comprar e fazer a gestão de um imóvel para uso comercial e passar bem longe de situações como a que citamos acima.


Depois de sentir os principais efeitos da pandemia de COVID-19, o mercado imobiliário começa a retomar o ritmo e respirar com mais tranquilidade. Após anos de gargalo, enfrentados principalmente nas recessões de 2014 e 2016, o setor começa a aquecer com o avanço da vacinação em todo o país, e mesmo com a alta da Selic o mercado se mostra otimista.

Para que você possa ter uma ideia, de acordo com dados fornecidos pelo Secovi-SP, só no 1º semestre de 2021 foram comercializados mais de 29 mil imóveis, isso somente na capital paulista!

Edifício em construção na Rua Helena, na Vila Olímpia, em frente as instalações da PMC São Paulo | Foto: Regis Souza/PMC

Os imóveis que não são residenciais demandam maior atenção de quem for comprá-los, pois é necessário verificar se esses bens se enquadram em todas as medidas de segurança e legislação para a atividade pretendida. Para garantir que você possa continuar realizando as suas operações no local, eliminar o risco de multas, prejuízos financeiros e de danos a reputação da marca, é necessário que imóveis de uso comercial e industrial estejam totalmente legalizados nos Órgãos Públicos. É extremamente importante que você tenha uma visão clara das necessidades de cada imóvel, e isso só é possível realizando o estudo de viabilidade do empreendimento, onde é possível analisar detalhadamente a legislação afim de obter todo o histórico do imóvel perante os Órgãos Públicos e os próximos passos na legalização da atividade do cliente.

O mercado imobiliário e as empresas do setor também devem adotar medidas para se enquadrar na cultura e tendências do “novo normal”. Tudo se torna cada dia mais digital! O home office passou a ser visto com bons olhos, assim como medidas mais flexíveis de trabalho, como por exemplo o modelo de trabalho híbrido (adotado pela PMC durante a pandemia). As pessoas buscam ainda mais relações humanizadas, de qualidade e com o auxílio da tecnologia, por isso tanto as construtoras, consultorias e incorporações devem adotar processos de qualidade interna e com os clientes.

Abaixo, listamos três tendências e pontos que o mercado deve se atentar e adotar para o “novo normal”:

– Análise da Regularidade Documental do Imóvel: 

Quem compra ou aluga imóveis para instalação de suas atividades deve verificar se o local está com as suas licenças em dia e atendendo todas as exigências legais. É preciso verificar se o projeto está aprovado na prefeitura e possui toda documentação atualizada, como o Habite-se, por exemplo. Além disso, fique atento com documentos como o Auto de Vistoria do corpo de bombeiros, projeto aprovado em Prefeitura e se a atividade pretendida é permitida na zona do imóvel.

– Utilização da tecnologia:

Com a revolução tecnológica, torna-se necessário adoção de ferramentas em diversos setores – no setor imobiliário isso não foi diferente. Pensando nisso, a PMC desenvolveu um software que leva em consideração todas as necessidades do cliente para o gerenciamento dos seus ativos imobiliários próprios ou locados, sendo eles Bens de Uso – BDU ou Bens Não de Uso – BNDU.

O PropertyDocs permite acesso em tempo real aos imóveis da carteira, além da centralização e facilidade no controle da situação patrimonial de cada imóvel com relatórios e análises gráficas, também permite o controle das pendências e obrigações, assegurando a mitigação de multas e associadas às irregularidades dos imóveis.

– Mais humanização e qualidade nos processos internos:

Com o crescimento do setor e a migração para o digital é necessário garantir a otimização de processos e a agilidade no desenvolvimento de produtos para levar satisfação aos clientes, colaboradores e empresas. A tendência de crescimento do setor é uma realidade, por isso é importante adotar a ISO 9001, um sistema de gestão da qualidade, focado em garantir que o negócio forneça um nível consistente de qualidade aos seus clientes, oferecendo processos e procedimentos bem definidos e regularmente revistos. Esse sistema também se integra aos procedimentos de negócios já presentes e ainda se torna parte da cultura dentro da organização.

Também é preciso olhar para oito princípios essenciais de negócios, entre eles: foco no cliente, liderança, envolvimento de pessoas, processos de abordagem, abordagem do sistema à gestão, melhoria contínua, abordagem factual para a tomada de decisões e relações mutuamente benéficas com fornecedores. Além disso, é preciso focar na gestão do negócio assim como na gestão das demandas dos clientes.


Diversas empresas já contratam o PropertyDocs para a transformação digital de seus processos. Comece a sua transformação digital agora! Clique aqui e venha conversar com um dos nossos consultores!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Mais lidos

Inscreva-se em
nosso blog!

Inscreva-se em nosso blog!

Se cadastre em nossa Newsletter e tenha acesso em primeira mão, a todas as novidades do nosso blog!

Veja também

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.