EnglishPortuguese
Pesquisar
Close this search box.

O que é e como é feito o estudo de impacto ambiental? Confira o passo a passo!

Tempo de leitura: 4 minutos

A crescente preocupação sobre as mudanças climáticas e seus impactos devastadores tem reforçado a importância de estudos ambientais minuciosos.

Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), os últimos oito anos foram os mais quentes já registrados, com níveis recordes de aquecimento dos oceanos e aumento do nível do mar, resultando em secas severas, enchentes e ondas de calor.

O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) é uma ferramenta fundamental nesse contexto. Ele proporciona uma análise detalhada das possíveis consequências ambientais de um projeto, garantindo que decisões sejam tomadas para proteger o meio ambiente.

Em suma, além da necessidade de proteção ambiental, esse estudo também é fundamental para a regularização de um empreendimento. E neste artigo vamos mostrar o passo a passo de como ele é feito. Boa leitura!

O que é o estudo de impacto ambiental?

O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) é um processo sistemático destinado a identificar, prever e avaliar as consequências ambientais de projetos de desenvolvimento antes de sua implementação.

No Brasil, essa ferramenta é regulamentada pela Lei nº 6.938/1981, que institui a Política Nacional do Meio Ambiente, e pela Resolução CONAMA nº 01/1986, que estabelece os procedimentos e critérios para a avaliação dos impactos ambientais.

O EIA abrange uma ampla gama de análises, incluindo a avaliação da flora, fauna, recursos hídricos, qualidade do ar, e impactos socioeconômicos.

O objetivo principal é garantir que os empreendimentos sejam sustentáveis, minimizando danos ambientais e promovendo o uso racional dos recursos naturais​.

Além disso, o EIA é um requisito obrigatório para a concessão de licenças ambientais para diversos tipos de projetos, como obras de infraestrutura, mineração, agropecuária e outras indústrias.

Qual a importância desse estudo?

O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) é essencial para assegurar que o desenvolvimento econômico ocorra de maneira sustentável e responsável.

Ele permite a identificação precoce de possíveis danos ambientais causados por um projeto, proporcionando a oportunidade de mitigar esses impactos antes que ocorram.

Isso não só protege o meio ambiente, mas também garante a saúde e a segurança das comunidades locais, preserva a biodiversidade e promove a gestão eficiente dos recursos naturais.

Além disso, o EIA é uma ferramenta crucial para a tomada de decisões informadas pelas autoridades competentes, garantindo que os projetos atendam às normas ambientais e contribuam para o desenvolvimento sustentável​.

Esse estudo é obrigatório?

No Brasil, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) é obrigatório para a realização de diversas atividades e empreendimentos que possam causar significativo impacto ambiental.

De acordo com a Resolução CONAMA nº 01/1986, qualquer projeto que envolva obras de grande porte deve realizar um EIA para obter a Licença Prévia (LP). Dentre os projetos que precisam desse estudo, estão:

  • construção de rodovias;
  • ferrovias;
  • portos;
  • aeroportos;
  • hidrelétricas;
  • atividades de mineração;
  • expansão agrícola em grande escala;
  • indústrias.

Essa exigência visa assegurar que todos os potenciais impactos sejam avaliados e mitigados antes da implementação do projeto, protegendo assim o meio ambiente e a qualidade de vida das populações afetadas.

Passo a passo para fazer o estudo de impacto ambiental

Agora que já mostramos o que é, e qual a importância desse estudo, vamos detalhar o passo a passo para a sua realização.

1. Solicitação e definição do projeto

O primeiro passo é a solicitação do EIA junto ao órgão ambiental competente, que pode ser o IBAMA ou as secretarias estaduais de meio ambiente.

O empreendedor deve fornecer informações detalhadas sobre o projeto, incluindo localização, escopo e objetivos. Essa etapa envolve a elaboração de um Termo de Referência (TR), que define os parâmetros e diretrizes que o estudo deve seguir.

2. Diagnóstico ambiental

Nesta fase, é realizado um levantamento detalhado das condições ambientais da área afetada pelo projeto, incluindo a análise da flora, fauna, recursos hídricos, qualidade do ar e solo, além de aspectos socioeconômicos da comunidade local.

Técnicas como levantamentos de campo, análises laboratoriais e consultas a bancos de dados ambientais são utilizadas para obter um panorama completo do ambiente.

3. Identificação e avaliação dos impactos

Com base nos dados coletados, são identificados e avaliados os possíveis impactos ambientais do projeto.

Essa etapa envolve a análise de como cada componente do ambiente será afetado pelas atividades previstas, considerando diferentes cenários de operação e eventuais acidentes.

Ferramentas de modelagem e simulação são frequentemente usadas para prever os impactos de forma mais precisa.

4. Proposição de medidas mitigadoras

Após identificar os impactos, são propostas medidas para minimizar ou compensar os efeitos negativos sobre o meio ambiente.

Essas medidas podem incluir a implantação de tecnologias menos poluentes, a criação de áreas de preservação, programas de reabilitação de áreas degradadas, e ações de educação ambiental para a comunidade.

5. Elaboração do Relatório de Impacto Ambiental (RIMA)

O RIMA é o documento final que compila todos os dados e análises realizadas durante o EIA. Ele deve ser claro e acessível, permitindo que a população e as autoridades compreendam os impactos do projeto e as medidas propostas para mitigá-los.

O RIMA é submetido ao órgão ambiental para análise e deve ser disponibilizado ao público para consulta, lembrando que é um documento obrigatório.

6. Audiências públicas

Antes da aprovação final, são realizadas audiências públicas onde o RIMA é apresentado e discutido com a comunidade.

Esse processo permite que a população expresse suas preocupações e sugestões, garantindo a participação social na tomada de decisões. As contribuições das audiências podem levar a ajustes no projeto ou nas medidas mitigadoras.

7. Análise e aprovação

O órgão ambiental analisa o RIMA e os resultados das audiências públicas para tomar uma decisão sobre a concessão da licença ambiental.

Se o projeto for aprovado, são emitidas a Licença Prévia (LP), a Licença de Instalação (LI), e finalmente a Licença de Operação (LO), cada uma condicionada ao cumprimento das medidas mitigadoras e monitoramento dos impactos.

8. Monitoramento e controle

Após a implementação do projeto, é realizado um monitoramento contínuo dos impactos ambientais e das medidas mitigadoras.

Relatórios periódicos devem ser enviados ao órgão ambiental para assegurar que os compromissos assumidos estejam sendo cumpridos e que os impactos estejam sendo controlados de acordo com o previsto no EIA e no RIMA​​.

Portanto, como é possível ver, esse é um processo complexo que requer a participação de uma empresa com experiência na área. E nós da PMC podemos te ajudar.

Com profissionais qualificados, e uma bagagem de aprovações ambientais, nós analisamos o seu projeto e realizamos todas as etapas até a sua aprovação. Entre em contato conosco e saiba mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o conteúdo? Compartilhe!

Mais lidos

Inscreva-se em
nosso blog!

Inscreva-se em nosso blog!

Se cadastre em nossa Newsletter e tenha acesso em primeira mão, a todas as novidades do nosso blog!

Veja também

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.