EnglishPortuguese
Pesquisar
Close this search box.

Como fazer a gestão financeira do ativo imobiliário. Entenda!

Tempo de leitura: 4 minutos

O investimento em ativos imobiliários vai além da simples aquisição de espaços para operações comerciais; representa uma estratégica decisão financeira com potencial para impulsionar significativamente o crescimento e a sustentabilidade da empresa.

À medida que o mercado imobiliário continua a evoluir, a gestão eficaz desses ativos torna-se uma habilidade indispensável para empresários que buscam maximizar o valor de seus investimentos e garantir uma sólida base para seus negócios.

Neste artigo vamos mostrar a melhor forma de gerenciar financeiramente o ativo imobiliário, abordando desde a avaliação do preço de mercado, passando pelos custos relacionados à aquisição e manutenção, até a análise da valorização líquida do imóvel. Boa leitura!

Como avaliar o preço de mercado de um imóvel?

Primeiramente, a avaliação envolve a análise comparativa de mercado, que examina as vendas recentes de propriedades similares na mesma região ou bairro.

Este método, conhecido como comparação de mercado, permite aos investidores entender o preço pelo qual imóveis comparáveis foram vendidos, ajustando-se por diferenças específicas, como tamanho, localização, e condição do imóvel.

Além disso, a avaliação pode ser complementada por uma análise da renda que o imóvel pode gerar, especialmente relevante para espaços comerciais, onde o valor do aluguel e a taxa de ocupação são indicadores-chave da viabilidade do investimento.

Ferramentas como avaliações profissionais, que incorporam inspeções no local e análises de mercado realizadas por avaliadores credenciados, oferecem uma perspectiva abrangente e objetiva sobre o valor de um imóvel.

Assim, a avaliação do preço de mercado emerge como uma peça central na gestão financeira do ativo imobiliário, capacitando empresários a tomar decisões informadas e estratégicas que alavancam o sucesso de seus investimentos.

Custos relacionados à aquisição e manutenção do imóvel

Além do processo de avaliação do imóvel para se fazer uma boa compra, é crucial também, saber os custos relacionados a essa aquisição e a manutenção de imóvel. Os dois principais impostos que incidem nessas operações são:

  • IPTU;
  • ITBI.

IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano)

O IPTU é um imposto municipal que incide sobre a propriedade imobiliária urbana, seja ela residencial, comercial ou industrial.

A gestão desses recursos é feita pelo município onde o imóvel está localizado, com a finalidade de financiar serviços públicos essenciais como educação, saúde, infraestrutura e urbanização.

O valor do IPTU é calculado com base no valor venal do imóvel, que é estimado pela prefeitura através de critérios como localização, tamanho e uso do imóvel.

O percentual aplicado varia de acordo com a legislação de cada município, mas geralmente é definido por faixas de valor, onde propriedades de maior valor venal são tributadas a taxas mais altas.

Para calcular o IPTU, é necessário consultar a alíquota específica aplicável ao valor venal do imóvel na legislação municipal. Posteriormente é só multiplicar o valor venal pela alíquota.

ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis)

O ITBI é um imposto municipal que incide sobre a transmissão de propriedade de bens imóveis, seja por venda, doação ou qualquer outra forma de transferência de propriedade.

Este imposto é gerido pelo município onde o imóvel está localizado e tem como objetivo principal financiar a administração municipal, contribuindo para o orçamento local.

O percentual do ITBI varia entre municípios, mas geralmente oscila entre 2% e 4% do valor de venda ou valor venal do imóvel, prevalecendo o maior.

Para calcular o ITBI, deve-se primeiro determinar a base de cálculo, que pode ser o valor da transação ou o valor venal avaliado pelo município, aplicando sobre este a alíquota específica definida pela legislação local.

É importante notar que, em algumas situações, podem haver isenções ou reduções no ITBI, dependendo do perfil do comprador ou do uso previsto para o imóvel.

Os impactos do atraso de tributos no preço do imóvel e no caixa da empresa

O atraso no pagamento de tributos relacionados a imóveis comerciais, como o IPTU e o ITBI, pode ter impactos significativos tanto no valor do ativo quanto na saúde financeira da empresa.

Inicialmente, multas, juros e correções monetárias decorrentes do atraso aumentam o custo efetivo do imóvel, reduzindo sua rentabilidade.

Além disso, a inadimplência fiscal pode levar ao registro de pendências junto aos órgãos municipais, comprometendo a capacidade da empresa de negociar o imóvel ou obter financiamentos e empréstimos.

Esse cenário pode limitar as oportunidades de expansão e investimento da organização, afetando sua competitividade no mercado. Sem contar que a empresa passará a ter uma dívida ativa, o que vai impedi-la de participar de licitações.

Em casos extremos, o não pagamento prolongado de impostos como o IPTU pode resultar em ação de execução fiscal por parte do município, culminando na penhora ou leilão do imóvel para a satisfação do crédito tributário.

Como avaliar a valorização líquida do imóvel

Avaliar a valorização líquida de um imóvel comercial envolve um cálculo que considera tanto o aumento potencial do valor de mercado do imóvel quanto os custos associados à sua posse e manutenção ao longo do tempo.

Para realizar esta avaliação de forma precisa, é importante seguir uma fórmula que incorpore os principais fatores financeiros envolvidos, sendo ela:

  • Valorização Líquida = (Vf – Vi) – (Ca + Cm + Ci + Ct)

Onde:

  • Vf é o valor atual de mercado do imóvel;
  • Vi é o valor de compra do imóvel;
  • Ca são os custos de aquisição, incluindo o ITBI;
  • Cm é o custo de manutenção anual, como reformas, reparos e taxas de condomínio;
  • Ci é o custo com impostos como o IPTU;
  • Ct é o custo financeiro com juros caso o imóvel seja financiado.

Este cálculo permite que empresários e investidores determinem o ganho real obtido com o investimento imobiliário após considerar todos os gastos necessários para manter e eventualmente vender o ativo.

A valorização líquida positiva indica um investimento rentável, que não apenas cresceu em valor de mercado, mas também gerou lucro após todos os custos associados.

É importante dizer que a análise detalhada e a consulta a profissionais especializados são recomendadas para uma avaliação precisa e a gestão financeira e estratégica de propriedades comerciais.

E nós da PMC ajudamos você na gestão financeira do seu imóvel. Entre em contato conosco e conheça os nossos serviços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o conteúdo? Compartilhe!

Mais lidos

Gerenciamento de Riscos em Franquias

O ano de 2023 foi marcado por realinhamentos econômicos e transformações políticas que mantiveram investidores e empreendedores atentos aos movimentos que impactam diretamente os mercados.

Foco na Expansão de Franquias

Com um crescimento de dois dígitos no mercado de franquias nos últimos três anos, esse setor tem conquistado notável visibilidade e se destacado pela necessidade

Inscreva-se em
nosso blog!

Inscreva-se em nosso blog!

Se cadastre em nossa Newsletter e tenha acesso em primeira mão, a todas as novidades do nosso blog!

Veja também

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.