EnglishPortuguese

Como fazer a gestão financeira do ativo imobiliário. Entenda!

Tempo de leitura: 4 minutos

O investimento em ativos imobiliários vai além da simples aquisição de espaços para operações comerciais; representa uma estratégica decisão financeira com potencial para impulsionar significativamente o crescimento e a sustentabilidade da empresa.

À medida que o mercado imobiliário continua a evoluir, a gestão eficaz desses ativos torna-se uma habilidade indispensável para empresários que buscam maximizar o valor de seus investimentos e garantir uma sólida base para seus negócios.

Neste artigo vamos mostrar a melhor forma de gerenciar financeiramente o ativo imobiliário, abordando desde a avaliação do preço de mercado, passando pelos custos relacionados à aquisição e manutenção, até a análise da valorização líquida do imóvel. Boa leitura!

Como avaliar o preço de mercado de um imóvel?

Primeiramente, a avaliação envolve a análise comparativa de mercado, que examina as vendas recentes de propriedades similares na mesma região ou bairro.

Este método, conhecido como comparação de mercado, permite aos investidores entender o preço pelo qual imóveis comparáveis foram vendidos, ajustando-se por diferenças específicas, como tamanho, localização, e condição do imóvel.

Além disso, a avaliação pode ser complementada por uma análise da renda que o imóvel pode gerar, especialmente relevante para espaços comerciais, onde o valor do aluguel e a taxa de ocupação são indicadores-chave da viabilidade do investimento.

Ferramentas como avaliações profissionais, que incorporam inspeções no local e análises de mercado realizadas por avaliadores credenciados, oferecem uma perspectiva abrangente e objetiva sobre o valor de um imóvel.

Assim, a avaliação do preço de mercado emerge como uma peça central na gestão financeira do ativo imobiliário, capacitando empresários a tomar decisões informadas e estratégicas que alavancam o sucesso de seus investimentos.

Custos relacionados à aquisição e manutenção do imóvel

Além do processo de avaliação do imóvel para se fazer uma boa compra, é crucial também, saber os custos relacionados a essa aquisição e a manutenção de imóvel. Os dois principais impostos que incidem nessas operações são:

  • IPTU;
  • ITBI.

IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano)

O IPTU é um imposto municipal que incide sobre a propriedade imobiliária urbana, seja ela residencial, comercial ou industrial.

A gestão desses recursos é feita pelo município onde o imóvel está localizado, com a finalidade de financiar serviços públicos essenciais como educação, saúde, infraestrutura e urbanização.

O valor do IPTU é calculado com base no valor venal do imóvel, que é estimado pela prefeitura através de critérios como localização, tamanho e uso do imóvel.

O percentual aplicado varia de acordo com a legislação de cada município, mas geralmente é definido por faixas de valor, onde propriedades de maior valor venal são tributadas a taxas mais altas.

Para calcular o IPTU, é necessário consultar a alíquota específica aplicável ao valor venal do imóvel na legislação municipal. Posteriormente é só multiplicar o valor venal pela alíquota.

ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis)

O ITBI é um imposto municipal que incide sobre a transmissão de propriedade de bens imóveis, seja por venda, doação ou qualquer outra forma de transferência de propriedade.

Este imposto é gerido pelo município onde o imóvel está localizado e tem como objetivo principal financiar a administração municipal, contribuindo para o orçamento local.

O percentual do ITBI varia entre municípios, mas geralmente oscila entre 2% e 4% do valor de venda ou valor venal do imóvel, prevalecendo o maior.

Para calcular o ITBI, deve-se primeiro determinar a base de cálculo, que pode ser o valor da transação ou o valor venal avaliado pelo município, aplicando sobre este a alíquota específica definida pela legislação local.

É importante notar que, em algumas situações, podem haver isenções ou reduções no ITBI, dependendo do perfil do comprador ou do uso previsto para o imóvel.

Os impactos do atraso de tributos no preço do imóvel e no caixa da empresa

O atraso no pagamento de tributos relacionados a imóveis comerciais, como o IPTU e o ITBI, pode ter impactos significativos tanto no valor do ativo quanto na saúde financeira da empresa.

Inicialmente, multas, juros e correções monetárias decorrentes do atraso aumentam o custo efetivo do imóvel, reduzindo sua rentabilidade.

Além disso, a inadimplência fiscal pode levar ao registro de pendências junto aos órgãos municipais, comprometendo a capacidade da empresa de negociar o imóvel ou obter financiamentos e empréstimos.

Esse cenário pode limitar as oportunidades de expansão e investimento da organização, afetando sua competitividade no mercado. Sem contar que a empresa passará a ter uma dívida ativa, o que vai impedi-la de participar de licitações.

Em casos extremos, o não pagamento prolongado de impostos como o IPTU pode resultar em ação de execução fiscal por parte do município, culminando na penhora ou leilão do imóvel para a satisfação do crédito tributário.

Como avaliar a valorização líquida do imóvel

Avaliar a valorização líquida de um imóvel comercial envolve um cálculo que considera tanto o aumento potencial do valor de mercado do imóvel quanto os custos associados à sua posse e manutenção ao longo do tempo.

Para realizar esta avaliação de forma precisa, é importante seguir uma fórmula que incorpore os principais fatores financeiros envolvidos, sendo ela:

  • Valorização Líquida = (Vf – Vi) – (Ca + Cm + Ci + Ct)

Onde:

  • Vf é o valor atual de mercado do imóvel;
  • Vi é o valor de compra do imóvel;
  • Ca são os custos de aquisição, incluindo o ITBI;
  • Cm é o custo de manutenção anual, como reformas, reparos e taxas de condomínio;
  • Ci é o custo com impostos como o IPTU;
  • Ct é o custo financeiro com juros caso o imóvel seja financiado.

Este cálculo permite que empresários e investidores determinem o ganho real obtido com o investimento imobiliário após considerar todos os gastos necessários para manter e eventualmente vender o ativo.

A valorização líquida positiva indica um investimento rentável, que não apenas cresceu em valor de mercado, mas também gerou lucro após todos os custos associados.

É importante dizer que a análise detalhada e a consulta a profissionais especializados são recomendadas para uma avaliação precisa e a gestão financeira e estratégica de propriedades comerciais.

E nós da PMC ajudamos você na gestão financeira do seu imóvel. Entre em contato conosco e conheça os nossos serviços!

Rúbia Gulis

Coordenadora de Processos

Rúbia Gulis

Coordenadora de Processos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o conteúdo? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Mais lidos

Entenda a diferença entre ART e RRT

No campo da construção civil, as iniciais ART e RRT são frequentemente encontradas. Elas se referem a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e Registro de

Inscreva-se em
nosso blog!

Inscreva-se em nosso blog!

Se cadastre em nossa Newsletter e tenha acesso em primeira mão, a todas as novidades do nosso blog!

Veja também

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.

x  Powerful Protection for WordPress, from Shield Security
Este Site é Protegido Por
Shield Security